Cantares

Cantares Quinto t tulo das Obras reunidas de Hilda Hilst publicadas pela Editora Globo Cantares re ne dois livros de poemas publicados respectivamente em e Cantares de perda e predile o e Cantare

  • Title: Cantares
  • Author: Hilda Hilst
  • ISBN: 9788525034922
  • Page: 278
  • Format: None
  • Quinto t tulo das Obras reunidas de Hilda Hilst publicadas pela Editora Globo, Cantares re ne dois livros de poemas, publicados, respectivamente, em 1983 e 1995 Cantares de perda e predile o e Cantares do sem nome e de partidas Obras breves, ambas constituem um dos instantes mais densos do lirismo hilstiano, que aqui revisita o tema do amor, dentro da melhor tradi o daQuinto t tulo das Obras reunidas de Hilda Hilst publicadas pela Editora Globo, Cantares re ne dois livros de poemas, publicados, respectivamente, em 1983 e 1995 Cantares de perda e predile o e Cantares do sem nome e de partidas Obras breves, ambas constituem um dos instantes mais densos do lirismo hilstiano, que aqui revisita o tema do amor, dentro da melhor tradi o da l ngua portuguesa.A hist ria do livro Cantares de perda e predile o recebeu os pr mios Jabuti, da C mara Brasileira do Livro, e Cassiano Ricardo, do Clube de Poesia de S o Paulo.O que se diz Segundo J L Mora Fuentes, escritor e jornalista, que compartilha a rotina di ria da Casa do Sol com a autora, Hilda Hilst pertence ao patamar dos grandes artistas, cuja essencialidade nos imp e o dever de preservar todos seus escritos S bia de requintes que nos permitem avan ar no pouco nada que intu mos de n s mesmos, Hilda desmascara sem pudor, seja com cascos, suaves garras, r spidas car cias, nossos mais preciosos cones E assim revela nosso rosto verdadeiro.

    • Best Download [Hilda Hilst] ↠ Cantares || [Fiction Book] PDF ✓
      278 Hilda Hilst
    • thumbnail Title: Best Download [Hilda Hilst] ↠ Cantares || [Fiction Book] PDF ✓
      Posted by:Hilda Hilst
      Published :2019-06-03T11:34:21+00:00

    Hilda Hilst

    Hilda de Almeida Prado Hilst, widely known as Hilda Hilst Ja , April 21, 1930 Campinas, February 4, 2004 was a Brazilian poet, playwright and novelist, whose fiction and poetry were generally based upon delicate intimacy and often insanity and supernatural events Particularly her late works belong to the tradition of magic realism.In 1948 she enrolled the Law Course in Faculdade de Direito da Universidade de S o Paulo Largo S o Francisco , finishing it in 1952 There she met her best friend, the writer Lygia Fagundes Telles In 1966, Hilda moved to Casa do Sol Sunhouse , a country seat next to Campinas, where she hosted a lot of writers and artists for several years Living there, she dedicated all her time to literary creation.Hilda Hilst wrote for almost fifty years, and granted the most important Brazilian literary prizes.

    405 Comment

    • "Para poder morrerGuardo insultos e agulhasEntre as sedas do luto.Para poder morrerDesarmo as armadilhasMe entendo entre as paredesDerruídas.Para poder morrerVisto as cambraiasE apascento os olhosPara novas vidas.Para poder morrer apetecidaMe cubro de promessasDa memoria.Porque assim é precisoPara que tu vivas."

    • Senti uma mão camoniana nesses versos, mesmo ñ encontrando sonetos.

    • "Mover-seMas nunca como aquele que pretendeSalvar alguém sem luz atrás de si".

    • Obra belíssima, que toca a alma!

    • Não consigo gostar desse tipo de poesia. De todo modo, o livro tem seus momentos.

    • O amor cantado em dor por HH. Como resumir o que não cabe em si? " Tens a medida do imenso? ()Sabes ainda meu nome? Fome. De mim na tua vida."

    • Simone GAndrade

      (Sep 18, 2019 - 11:34 AM)

      Hilda Hilst - poetisa, ficcionista, cronista e dramaturga brasileira, reúne nessa edição duas de suas obras: Cantares de perda e predileção (1983) & Cantares do sem nome e de partidas (1995). Em seus poemas trás a contrariedade do amor e ódio, morte e vida, céu e inferno que compõem a existência e experiencia humana "Ouvia: Que não podia odiar e nem temer, porque tu eras eu. E como seria odiar a mim mesma e a mim mesma temer"

    • Márcio Sobrinho

      (Sep 18, 2019 - 11:34 AM)

      No título, na epígrafe, no primeiro verso, em qualquer página deste livro que se abra, ouvem-se os ecos de uma tradição poética cujas origens podem ser rastreadas até o livro bíblico do qual este é, a seu modo, uma tentativa de recriação. Aqui vão os "Cantares de perda e predileção", publicados em 1983, e os "Cantares do sem nome e partidas", escritos em 1995, período em que Hilda já havia desistido de tentar ser lida e engavetava os poemas que escrevia a sério.

    • Os cantares de perda e predileção são realmente, por vezes, flancos de tigre distendido sobre o peito, já pisoteado pelo passo predador do ódio-amor.

    • Gostei mais do que o Da Morte mas ainda sim não o tipo de poesia que me faz sentir.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *